Uma Mensagem de Esperança para as Tentantes!

Gostaria de contar a minha história para trazer esperança e conforto a todas as mulheres que sonhavam e ainda sonham em ser mãe! 
Escolhi essa foto porque foi o primeiro ensaio que fiz enquanto gestante. Estava com 32 semanas à espera do meu primeiro bebê, o baby Noah. 
Estar grávida foi um dos momentos mais felizes da minha vida. Me sentia plena, linda, tinha orgulho de mostrar o meu barrigão e não via a hora de conhecer o meu bebê, de carregá-lo, de encher ele de beijinhos, de amamenta-lo,  de dar amor e muito carinho. 

Eu sempre quis ser mãe, sempre fui apaixonada por bebês e crianças. Por isso eu era enfermeira neonatal, amava cuidar dos meus pequenos pacientes. Não via a hora de casar e ter filhos…

Nem tudo acontece como nos contos de fada

Eu casei em dezembro de 2009 e logo em seguida não utilizei nenhum método contraceptivo. Eu já queria engravidar e realizar o meu sonho de ser mãe. Mas esse sonho parecia ser impossível. Eu demorei mais de um ano para engravidar e quando isso aconteceu, sofri um aborto espontâneo quando eu estava com oito semanas de gestação. Lembro como se fosse hoje, dia 11 de março de 2011. Foi sem sombras de dúvidas o dia mais triste da minha vida. Eu e meu marido já amávamos bastante aquele serzinho e choramos muito a sua perda. Depois desse ocorrido, eu fiquei muito deprimida e temerosa em não ser mãe.
Como eu não engravidava, decidi procurar ajuda de um médico especialista em fertilização e fiz o procedimento da fertilização in vitro. Fiquei devastada, pois fiz duas tentativas e o resultado deu negativo. 

Já estava totalmente sem esperança de gerar um filho e realizar o sonho de ser mãe. E para piorar ainda mais a situação, todo lugar que eu ia, via mães, bebês, crianças. Achava tão lindo um casal com filhos. Aqui nos EUA, os americanos gostam de ter família grande, as mulheres têm entre três a quatro filhos e eu não tinha nenhum. Chorava muito e me sentia tão vazia. Eu tinha tudo para ser feliz, um marido que me amava, bens materiais, mas não tinha o que considerava mais importante, que era ter um filho!

Enfim a desejada gravidez
Eu já estava a ponto de cometer uma loucura. Disse para o meu marido que se eu não engravidasse naquele ano (2012), eu iria procurar uma barriga de aluguel ou adotar uma criança. Ele não queria nenhuma das duas hipóteses. Mas eu disse para o Eric que o meu desejo de ser mãe não concretizado estava acabando comigo. A minha família e as minhas amigas íntimas, que sabiam da minha angústia, oravam muito por mim e suplicavam a Deus para que eu engravidasse. Foi aí que, em junho de 2012, eu descobri que estava grávida. 

Foi uma das fases mais prazeirosas e inesquecíveis da minha vida. 
Depois do nascimento do Noah, tive o privilégio de ser gestante por mais duas vezes, foi a doce espera das minhas filhas Agatha e Alice, respectivamente. 
Hoje, a fábrica já fechou aqui em casa. Me recordo com muita saudade e carinho das minhas gestações. Por isso, gestantes curtam ao máximo essa fase, pois ela é divina e passa muito rápido e para as tentantes, não desistam, tenham fé e acreditem que vocês também viverão esse sonho de gerar um bebê! 
Ser gestante é o início de um amor eterno!

Claudia Kalhoefer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *